Me visto com pedras
Estou seguro
Acima das regras
Atrás do futuro

Me dispo das pedras
Não sou ninguém
Acima da terra
Não mais além

Me visto de sorriso
Estou feliz
Jamais indeciso
É o que sempre quis

Me dispo do sorriso
Não sei quem sou
Então improviso
E jogo a culpa no amor

Me visto com vidro
Cuidado, sou frágil
Se se parece comigo
Não compre, é plágio

Me dispo do vidro
Nada me resta
Nem roupa, nem brinco
Nem vale, nem presta

Me visto de luz
Confio cegamente
A palavra que conduz
Não sei se é ou se mente

Me dispo da luz
O pecado me deslumbra
Esqueço da cruz
E me restam as sombras

Me visto de amor
Sofrimento intenso
Felicidade e terror
Prazer imenso

Me dispo do amor
Solidão me consome
É com imensa dor
Que esqueço um nome

Não me visto
Estou nu. Mas garoa.
Eu não resisto. E volto
Ao meu guarda-roupa