Afinidades, interesses, convivência…
Sozinhos, não significam nada. O que está verdadeiramente por trás das amizades é a sintonia. Pessoas sintonizadas na mesma freqüência se atraem, sem esforço, sem forçar nada, naturalmente. Quanto a convivência, ela apenas apura a sintonia, ou seja, quanto mais tempo você passa com pessoas em sintonia, mais as palavras se tornam desnecessárias e incompletas. É, portanto, elemento importante nas relações humanas, sem dúvida. Mas não é essencial. Enquanto duas pessoas estiverem na mesma vibração, não importa quanto tempo passem sem se ver ou se falar, serão sempre “velhos amigos”. Aqueles que quando você encontra depois de anos sem contato, conversam como se tivessem se visto no dia anterior. E as formalidades podem ser dispensadas porque palavras são de falar e não de sentir. Afinidades e interesses existem em comum entre quaisquer pessoas no mundo, mesmo que às vezes sejam difíceis de encontrar. Mas pessoas que estão sintonizadas na mesma freqüência, essas não são assim tão fáceis de encontrar, mas certamente são as mais valiosas. Por isso, ficar preocupando-se em mudar seus interesses, seus gostos, encontrar a sua “tribo” ou virar uma pessoa diferente para atrair novos “amigos” é inútil.
“Quem é de verdade sabe quem é de mentira”. E quem está na sintonia também sente quem não está. Então, procure a sua sintonia. As pessoas que você encontrar serão conseqüência disso e por isso mesmo, serão as únicas que valem a pena.