Me disseram que bom era ser árvore,
Que é grande e majestosa
E nem se dá conta.

Me disseram que bom era ser vento,
Que pode ser brisa ou tornado
E sopra sem rumo, despreocupado.

Me disseram que bom era ser nuvem,
Que se muda e se transforma
Em tudo que imagina.

Me disseram que bom era ser mar,
Que é gigante e profundo
E se perde em si mesmo.

Me disseram que bom era ser fogo,
Que destrói tudo a sua frente
E nem se incomoda.

Me disseram que bom era ser lua,
Que é inspiração de todos os poetas
Mesmo sendo tão esburacada.

Me disseram que bom era ser luz,
Que mesmo na mais sombria noite
Brilha trazendo a esperança.

Mas esqueceram que bom mesmo é ser humano,
Que tem de cada coisa um pouco
E, além de tudo, o amor.