Perdoar nunca foi sinônimo de esquecer
Porque um pequeno erro muda toda uma vida.
Se perdoô é porque amo, porque entendo ou tento entender,
Mas sempre existe o receio da falha se tornar repetida…

E tudo fica tão diferente, tão estranho…
O convívio já não é tão natural.
E sempre quem errou é o lobo do rebanho,
O traidor que está sempre no pau.

E qualquer coisa já é motivo de desconfiança,
E quem tem histórico é o mais provável culpado.
Para ele quase nunca há esperança:
Na primeira chance será sempre apontado.

Se nisso há ou não justiça não é a questão,
Pois simplesmente é assim que as coisas vão…
Fez errado, eterno culpado, mesmo perdoado.
Porque perdoar não é esquecer.

O incrível mesmo é perceber
Como somos eternamente assombrados
Pelos mesmos velhos fantasmas do passado…