Turbilhões de idéias
Conversas e diálogos que nunca se darão
Situações imaginadas, reações possíveis, sempre erradas
Insipirações desnecessárias e inconvenientes

Problemas de um futuro próximo e imprevisível
Soluções fáceis, porém inexistentes
Hipóteses, retornos, atalhos, efeitos
Conspirações mirabolantes e diversificadas

Paixões de um dia e de uma vida
Teorias dos motivos para o fim
Ou das razões para insistir no erro
Confronto direto do eu consigo

Buscas incessantes de justificativas
Que expliquem as atitudes alheias
Ignorando que as próprias atitudes
São hipócritas e desprovidas de sentido

Tudo passa-se na mente
Nos poucos infinitos segundos
Que precedem o breve desligamento
Do corpo, da mente, da alma.

É que antes de dormir
Entramos, por poucos momentos,
Na eternidade,
No reino dos Se’s

E o maior deles bem a nossa frente:
Ah, se eu conseguisse dormir…

(Boa noite…)

Anúncios