Em poucos minutos de lucidez no meu dia
Consigo mudar de perspectiva

E onde via dragões ferozes a me combater,
Agora existem moinhos de vento a me impulsionar.

E onde via obstáculos em meu caminho,
Passei a ver experiências necessárias ao aprendizado.

E onde enxergava infelicidade sem explicação,
Vejo agora múltiplas facetas da Suprema Perfeição.

Onde existia ansiedade e medo em meu coração,
Há apenas felicidade e vontade de evolução.

Onde existia uma visão viciada e pequena do mundo,
Surgiu um leque de verdades e possibilidades.

Lapso de realidade me faz entender
A pequenez tão pequena de meu ser,
A arrogância tão arrogante de minha espécie,
E o amor tão grande do Pai Celeste…

Lapso de lucidez momentânea,
Que transforma todos os meus dragões – problemas,
Em moinhos de vento –  energia.

Lapso de lucidez que vem num segundo,
E noutro se vai, feito vento
Deixando pra trás a melhor parte do dia,
Talvez a única que fuja das regras
Dessa grande loucura coletiva…