Por uma vida mais livre, mais leve e mais solta
Queremos distância de modelos quadrados e arbitrários, sistemáticos e metódicos, com os quais durante toda a vida fomos obrigados a conviver.
Não queremos ter que nos ajustar, não iremos nos adaptar ou encaixar-nos no sistema.
Não é rebeldia, apenas o reconhecimento da inutilidade de modelos ou sistemas pré-prontos, cujas normas estabelecidas ditam qual deve ser o comportamento padrão.
Não!
Queremos viver a mercê apenas de nosso desejo, de nossa vontade, ser guiados pelos ventos, pelas marés e pelas estrelas.
Não pela ciência, não pela religião, não pela academia,  nem pela matemática ou qualquer tipo de filosofia.
Apenas pela vontade.
Desconfiamos de tudo que é feito com método – pode parecer insano, mas o que é o método além da limitação de um trabalho ou ação?
Não!
Não queremos limites ou fronteiras, somos infinitos, eternos, dinâmicos. E falíveis.
Tão falíveis quanto, ou menos, do que qualquer dogma científico, religioso, acadêmico, matemático, estatistíco, econômico, empírico.
Ao invés de nos ocuparmos com questões de importância subjetiva, como se aquilo que está sendo apresentado pode ser generalizado, se é aceitável, válido e/ou coerente,
Importamo-nos com a única objetividade que realmente paira sobre qualquer informação. Uma, e apenas uma pergunta.
É útil?
E a resposta, crucial, é o que determinará nosso interesse ou não pelo assunto em questão.
Apenas isso.